Paraty é um município brasileiro do estado do Rio de Janeiro. Localizado no litoral sul do estado, dista 258 quilômetros da capital, a cidade do Rio de Janeiro. Muitas histórias pertencem à Paraty,a cidade foi, durante o período colonial brasileiro (1530-1815), sede do mais importante porto exportador de ouro do Brasil. Por estar localizada quase ao nível do mar, a cidade foi projetada levando em conta o fluxo das marés. Como resultado, muitas de suas ruas são periodicamente inundadas pela maré, o que trás turistas o ano todo para presenciar esse fenômeno das marés.

O Centro Histórico de Paraty é considerado pela UNESCO como "o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso". É também Patrimônio Nacional tombado pelo IPHAN e é candadita a Patrimônio da Humanidade.

A maçonaria deixou sua forte marca nas fachadas dos sobrados com desenhos geométricos, em relevo.

Suas ruas, protegidas por correntes que impedem a passagem dos carros, preservam ainda o encanto colonial, aliado a um variado comércio e a expressões culturais e artísticas muito intensas.

Seus casarões coloniais hoje abrigam muitas lojas, ateliers, pousadas e restaurantes. A noite no Centro é onde os turistas e locais se encontram para passear, curtir, comer e comprar.

Na Casa da Cultura sempre pode-se assistir a shows, peças teatrais, exposições e eventos.

Paraty é muito mais que apenas uma pequena cidade histórica, cenário de Gabriela, Cravo e Canela, obra de Jorge Amado, filmes nacionais e internacionais. Costeada por montanhas cobertas do denso verde da mata atlântica, a cidade é rodeada de Parques e Reservas Ecológicas, fazendo da região uma das mais preservadas do Brasil. Há mais de 60 ilhas e 90 praias em Paraty, boa parte delas acessível somente de barco ou trilhas. As praias de Trindade são uma atração à parte: em fevereiro de 2009, o governo federal delimitou a Praia do Meio, em Trindade, como parte integrante do Parque Nacional da Serra da Bocaina. outro aspecto de relevo no setor é a prática de esportes de aventura. Nas trilhas de Paraty pode-se caminhar por dias a fio. O roteiro mais tradicional entre os amantes da caminhada é a Travessia da Juatinga, que costeia toda a Península da Juatinga, em trilhas de servidão que datam do tempo dos escravos e passam por diversas comunidades caiçaras, responsáveis pela hospedagem e alimentação dos turistas. Dentre outras modalidades pode-se praticar a canoagem oceânica, a vela, o surf e o mergulho autônomo. As águas calmas, cristalinas e sempre tépidas da Baía da Ilha Grande são ideais para essa prática, atraindo grande número de praticantes. Várias operadoras de mergulho oferecem seus serviços na cidade e nas marinas, atendendo não apenas às escolas de mergulho, mas também a turistas interessados em conhecer a Parati subaquática. A canoagem também é idealmente praticada nas águas calmas da baia, destacando os roteiros de mais de um dia que exploram a Baia da Cajaíba e o Saco do Mamanguá, um dos poucos "fiordes" do mundo. Já o surf é praticado na costa aberta ao mar, que se inicia na ponta da Juatinga e engloba as praias da Sumaca, Martin de Sá, Antigos, Sono e todas da Vila de Trindade. Não podemos esquecer das belíssimas praias do lado norte, Tarituba, onde foi cenário da novela Mulheres de Areia (Rede Globo), São Gonçalo, São Gonçalinho, onde pegamos embarcações para a maravilhosa Ilha Pelado, entre outras infinidades de ilhas e cachoeiras a serem visitadas.  

 

     Lugares de interesse

  • Chafariz do Pedreira - à entrada da cidade, em mármore, foi iniciado em 1851 e inaugurado em 1853 pelo conselheiro Luís Pedreira do Couto Ferraz, então presidente da província do Rio de Janeiro, que, na ocasião, bebeu, em copo de ouro, as suas primeiras águas.

  • Sobrado dos Bonecos e Passos da Paixão - localizado à Rua Tenente Francisco Antônio, nele se destaca o beiral em telhas de louça. O nome dos Bonecos veio das estátuas que encinavam a sua platibanda. No prédio vizinho, existe uma capela dos Passos da Paixão, aberta apenas para as procissões da Semana Santa.

  • Antiga Cadeia Pública 

  • Igreja de Santa Rita de Cássia

  • Rua do Fogo - é uma das poucas ruas da cidade que conserva o seu primitivo nome. Comunica um dos vértices do Largo de Santa Rita à Rua Maria Jácome de Melo.

  • Rua Dona Geralda - Geralda Maria da Silva nasceu em Parati em 1807. Benemérita, herdou de seu pai grande fortuna, que a lenda local associa à descoberta de um tesouro de piratas.

  • Antigo Mercado do Peixe - localiza-se à beira-mar, comercializando passagens para passeio de escuna.

  • Rua da Praia - comunica o Mercado do Peixe à beira do rio Perequê-açu. Em determinadas luas, é inundada pelas águas da maré alta, que refletem o seu casario, espetáculo que atrai a atenção dos turistas.

  • Rua Fresca - outrora denominada Rua das Dores (por abrigar a Igreja de Nossa Senhora das Dores), Rua Alegre e Rua do Mar, nela, se destaca o Sobrado dos Orleans e Bragança, próximo à Igreja de Nossa Senhora das Dores.

  • Igreja de Nossa Senhora das Dores

  • Praça do Imperador

  • Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios

  • Sobrados coloniais

  • Santa Casa de Misericórdia de Parati

  • Forte Defensor Perpétuo e Casa da Pólvora - o forte abriga o Centro de Artes e Tradições Populares de Parati.

  • Capela da Generosa - localiza-se no Beco do Propósito, à margem do Rio Perequê-açu, onde morreu afogado Teodoro, um ex-escravo liberto, que ali se atreveu a pescar em uma sexta-feira santa. Em memória do fato, uma senhora de nome Maria Generosa, aí, fez erguer a capela, sob a invocação da Santa Cruz, que recebeu o nome da benfeitora.

  • Igreja de Nossa Senhora do Rosário e prefeitura

  • Oratório de Santa Cruz das Almas - também conhecido como Oratório de Santa Cruz dos Enforcados, localiza-se no antigo caminho para o pelourinho.

  • Engenho da Muricana

  • Engenho da Boa Vista - onde residiram os avós de Heinrich e Thomas Mann. O antigo engenho a vapor adquiriu fama por suas aguardentes, como a Azulina, produzida em alambique de barro e destilada com folhas de tangerina.

  • Engenho do Bom Retiro - em 1908, a sua aguardente recebeu medalha de ouro na Exposição Nacional Comemorativa do 1º Centenário da Abertura dos Portos do Brasil.

  • Aldeias guaranis de Araponga e Paratimirim - se localizam nos arredores da cidade. Para sua visitação, é necessária uma autorização no posto da Fundação Nacional do Índio que se localiza nessas aldeias.

​     Eventos culturais e folclóricos

  • Festival de Música Sacra

  • Festa do Divino Espírito Santo (patrimônio cultural do Brasil) - 50 dias após a Páscoa.

  • Festival da Cachaça - segundo final de semana de agosto.

  • Encontro de Teatro de Rua

  • Carnaval

  • Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) - Final de julho ou começo ou agosto.

  • Festival Internacional de Fotografia - Paraty em Foco

  • Encontro de Ceramistas

  • Festival Mimo de música - outubro.

  • Bourbon Festival- maio.

  • Tollosa (Festival de bandas de rock independentes)

     Eventos religiosos

  • Semana Santa

  • Festa do Divino Espírito Santo

  • Festa de Santa Rita de Cássia

  • Corpus Christi

  • Festas em homenagem a São Pedro, Nossa Senhora dos Remédios, São Benedito e outros santos.

     Patrimônio edificado

  • Forte Defensor Perpétuo

  • Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios

  • Igreja de Santa Rita de Cássia

  • Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito

  • Igreja de Nossa Senhora das Dores

     Cidades-irmãs

  •  Ílhavo, Portugal - Lei nº 254/2007 de 25 dezembro de 2007.

  •  Cunha, Brasil - Lei municipal nº 49 de 10 outubro de 2013.

  •  Capri, Itália - Lei municipal nº 1805/2011 de 15 de maio de 2011

Paraty

sigam nos
  • Nosso canal do Youtube
  • White TripAdvisor Icon
  • White Facebook Icon
Whatsapp_icon-icons.com_60504.png

© 2019  Pousada Bella Mar               Criado por Andréa Arruda